NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Horta e Costa deve sair da PT

terça-feira, 27 dezembro, 2005 /
Presidente e altos quadros preparam reforma. Os responsáveis da PT tencionam aproveitar o regime especial de aposentação, ao abrigo do Decreto-Lei 324 de 1997, tendo para isso de fazer o requerimento do mesmo até ao dia 31 de Dezembro.

Os nomes em causa, onde se incluem Iriarte Esteves (presidente da TMN e administrador-executivo da PT), Graça Bau (administrador da PT Comunicações) e Paulo Nordeste (presidente da PT Inovação), foram discutidos em conselho de administração, tendo os gestores decidido iniciar o processo, afirmou fonte da empresa.

Já fonte oficial da PT sustentou que «o assunto das reformas, nomeadamente o seu enquadramento e condições, foi abordado em conselho de administração, mas de uma forma genérica. Daí para a frente, é uma relação individual entre cada quadro e o presidente do conselho».

Quanto ao caso de Miguel Horta e Costa, a mesma fonte oficial frisou que «existe essa possibilidade», tratando-se de uma «questão pessoal», que só poderá ser confirmada no definitivo «no dia 31 deste mês».

Embora seja invulgar que um quadro reformado se mantenha à frente dos destinos da PT, legalmente esse cenário está em aberto. Caso os accionistas queiram reconduzir o mandato de Miguel Horta e Costa, a lei permite-o.

O mesmo se passa em relação à possibilidade de Horta e Costa asssumir o cargo de «chairman». Contudo, as fontes, contactadas pelo «Diário de Notícias», consideram muito pouco provável o primeiro cenário de manter o mesmo presidente-executivo, apontando como provável sucessor Rodrigo Costa, agora administrador não executivo.
2,484