NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Contar histórias em vídeos 360º é agora mais fácil

quinta-feira, 24 janeiro, 2019 /
Contar histórias em vídeos 360º é agora mais fácil

The Rent Zone - Aluguer de Dispositivos Tecnológicos

Depois de um financiamento da Google no âmbito do fundo de inovação Digital News Initiative.



A Google, no âmbito do fundo de inovação Digital News Initiative, financiou em 2017 um projeto do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) para estimular a inovação no jornalismo digital. Passados menos de dois anos, o INESC TEC desenvolveu o Augmented Video 360 – uma ferramenta de edição e visualização de vídeos 360º com anotações dinâmicas para melhorar narrativas. Contar histórias utilizando vídeos 360º é, por isso, agora mais fácil.

O objetivo era o de diminuir o gap existente entre criadores de conteúdos e a tecnologia necessária para adicionar anotações dinâmicas a vídeos 360º, uma das grandes tendências do jornalismo digital. O Augmented Video 360 pretende, assim, permitir a jornalistas e produtores de conteúdo criar notícias imersivas a 360º.

“Os profissionais de informação vão passar a ter mais controlo e, ao mesmo tempo, mais liberdade para editar e adicionar informação relevante aos vídeos 360º”, explica Rui Rodrigues, investigador do Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica do INESC TEC e docente da FEUP.

O editor de vídeos 360º permite aos criadores ou editores de conteúdos não só carregar os vídeos, mas também completar as narrativas jornalísticas com chamadas de atenção que considerem relevantes para o espectador. Estas anotações inseridas no vídeo podem ser dinâmicas, com pontos de interesse para a narrativa, legendas orientadas em 3D ou outro tipo de efeitos visuais.

“Por um lado, queríamos dar a oportunidade, de forma interativa, aos jornalistas, de criar anotações num vídeo 360º (textos, imagens, etc.), associadas a diferentes pontos de interesse, que podem ser fixos (como monumentos numa praça) ou móveis (como duas personalidades que se desloquem numa sala). Por outro lado, pretendíamos que o espectador pudesse ter sempre chamadas de atenção visíveis para os pontos de interesse, mesmo que estes não se encontrem diretamente no seu campo de visão. Os conteúdos são atualizados em função da orientação do observador”, refere o investigador do INESC TEC.

O Augmented Video 360 foi um dos seis projetos de jornalismo digital que foi financiado pelo fundo da Google, na segunda ronda de candidaturas, que teve mais de 800 candidaturas. Para testar a tecnologia, o INESC TEC teve o jornal Público como parceiro de media.

Além dos principais critérios como impacto, inovação e viabilidade do projeto, que foram estabelecidos como parâmetros desde o início do Fundo, procuraram-se, também, projetos focados na colaboração e que se destacaram por dar prioridade a abordagens colaborativas entre publishers, académicos, designers e empreendedores, num só país ou na Europa. O objetivo sempre foi que a cooperação entre países, entre redações e entre especialidades se afirme como uma autêntica forma de potenciar o ecossistema de notícias europeu com novas ideias e novas tecnologias.

O visualizador Augmented Video 360 pode ser experimentado online em: https://av360.inesctec.pt. O editor, que está atualmente em fase beta, pode ser experimentado contactando os investigadores responsáveis por esta tecnologia através do mesmo website.



932