NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

CES, 2011 e a febre dos Tablets

sexta, 07 janeiro, 2011 /
CES, 2011 e a febre dos Tablets

2011 vai ser o ano dos tablets, que cada vez mais têm dado que falar. De quem é a culpa? Da Apple, claro - o iPad fez de tal forma sucesso que até à data já vendeu mais de 18 milhões de unidades. O conceito é simples: pegar nos melhores elementos de um computador portátil e juntar-lhe um conceito de portabilidade semelhante ao de um smartphone. O resultado? Um tablet.

ipad_01

Os tablets vão revolucionar o mercado e não só, em 2011: agências especializadas, como é o caso da Gartner, dos EUA, prevêem que vão ser vendidos 55 milhões de tablets durante este ano. Mas não fica por aqui: até ao fim de 2010 foram já vendidos aproximadamente 20 milhões de tablets em todo o mundo, número que vem praticamente triplicar em 2011. Já em 2014, de acordo com a mesma agência, 1 em cada 10 computadores portáteis vão ser planos ou tablets.

Podemos, então, falar de competição entre computadores portáteis e tablets? A tendência é a de ambos os dispositivos se juntarem ou, antes, complementarem. E de facto não podemos censurar que tal ocorra: o tablet é prático, tem uma autonomia perfeitamente acessível (no caso do iPad a autonomia da bateria pode chegar até 10 horas) e é intuitivo, além de não ser tão pesado (o Galaxy Tab da Samsung pesa apenas 380g) e permitir a qualquer utilizador ter acesso aos seus conteúdos multimédia favoritos, em todo o lado: vídeos, filmes, imagens, e-books e Internet.

O iPad só foi lançado em Portugal recentemente (30 de Novembro) mas já pudemos constatar o seu impacto: tornou-se numa ferramenta não apenas de trabalho mas também de lazer. Seria de esperar que, com tamanha febre, o iPad não estivesse solitário por muito tempo - o Samsung Galaxy Tab, por exemplo, é já um concorrente de peso (embora não literalmente, pois pesa menos de 400g). Mas a guerra dos tablets não fica por aqui: 2011 vai observar várias marcas de reconhecimento internacional (ASUS, ACER, Samsung, HTC, Lenovo, entre outras) a apostarem neste mercado. Que inovações poderemos esperar neste segmento? Que novidades estarão guardadas? Ainda é cedo para dizer, mas as expectativas são elevadas.

samsung-galaxy-tab1

Tablets e CES 2011

CES-3-20110105111935Para os mais interessados, esta semana é de elevada importância: ontem foi o primeiro dia da Consumer Electronics Show 2011, em Las Vegas, um dos eventos mais prestigiados no mundo das tecnologias. E, adivinhem - os tablets estão a marcar presença. Não apenas enquanto conceito, mas também enquanto produto: está a ser discutido o impacto, estão a ser apresentadas novas propostas e modelos por várias marcas reconhecidas. E ainda estamos em Janeiro.

Para reforçar a presença dos tablets enquanto centro das atenções na CES, a Lenovo anunciou 3 novos modelos a ser disponibilizados brevemente, um dos quais o tão esperado IdeaPad Slate, um híbrido que combina o computador portátil com o tablet. A Samsung apresentou uma versão 4G do Galaxy TAB e a Motorola deu a conhecer o Motorola Xoom, um dos primeiros tablets com sistema operativo Android 3.0 (Honeycomb).

A Vizio, uma fabricante de televisões, aderiu também à área mobile: o Via Tablet, um dispositivo com 8.0 polegadas e com uma câmara frontal para video-conferências, foi um dos produtos em destaque. A Panasonic apresentou vários tablets da série Viera, que permite aos utilizadores ver filmes na televisão. A Asus, que também é fabricante de notebooks, anunciou 4 modelos Eee, que variam entre as 12.1 e as 7.1 polegadas, que vão estar disponíveis ainda este mês.

5,059