NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Porque é que o Instagram e o AdBlock davam bons amigos (opinião)

Porque é que o Instagram e o AdBlock davam bons amigos (opinião)

sexta-feira, 25 outubro, 2013 /
Porque é que o Instagram e o AdBlock davam bons amigos (opinião)

Brincadeiras à parte, o Instagram e o AdBlock parecem estar em sintonia em relação à sua atitude face à publicidade online

A publicidade está em todo o lado: na rua, na televisão, na sua revista favorita, a meio do programa de rádio que ouve de manhã logo antes de sair de casa, na internet. Só que quando o assunto é publicidade online, contudo, existem diversas formas de abordar a exibição de um anúncio publicitário aos internautas - e muitas delas, como bem deve saber, podem ser insuportáveis.

A forma como a publicidade é exibida online pode ser determinante para a experiência de utilização geral de um website. Se for horrivelmente intrusiva e incómoda, por exemplo, vamos pensar duas vezes antes de abrir aquele link que acabaram de partilhar connosco nas redes sociais. Alguma vez se sentiu incomodado ao abrir um vídeo no Youtube e ter que esperar X tempo para poder passar o anúncio? Já todos perdemos a conta ao sem número de vezes que procurámos esquivar essas tentativas de nos impingirem um produto.

O Instagram e o AdBlock têm uma coisa em comum

Quantos de nós não têm gravado na memória o timbre de voz da senhora que nos perguntava sempre, numa pop-up publicitária, "quem inventou o iPhone: a Nokia ou a Apple"? Se leu esta citação - que provavelmente não está 100% fidedigna - em português-brasileiro, junte-se ao clube: foi incomodado vezes e vezes sem conta por um anúncio publicitário que nunca lhe disse respeito, mas que ainda hoje se encontra presente na sua imaginação. O horror era especialmente amplificado em ocasiões onde o nosso navegador tivesse uma imensidão de tabs abertas, e a localização da fonte do anúncio fosse dificultada.

E depois temos o Instagram. A aplicação favorita de milhões de utilizadores já havia dado indícios de que um dia passaria a exibir publicidade de forma a rentabilizar a sua presença no mercado - dia esse que chegou bem recentemente e que originou preocupações em muitos dos seus fãs e utilizadores. Mas a empresa, detida actualmente pelo Facebook, tem uma filosofia prática e potencialmente interessante para todos os envolvidos - Instagram, utilizadores e anunciantes. A de tornar a publicidade em algo agradável de se ter por perto.

Veja também: Instagram torna-se rentável e adere à publicidade online

O Instagram e o AdBlock têm uma coisa em comum

Veja também: Publicidade em websites pornográficos: o derradeiro tabu?

O Instagram exemplifica, com um bloco publicitário produzido por si próprio, como será o aspecto e a sensação de ter publicidade em exposição na popular aplicação dos filtros de imagem. E a verdade é que, a ser bem sucedido, os anúncios publicitários poderão realmente agarrar-nos a atenção - não será esse o seu objectivo, antes de nos venderem sequer um produto?

"Queremos que os anúncios sejam criativos e cativantes. Então vamos começar apenas com umas poucas marcas que já são membros fantásticos da comunidade Instagram. Vamos proceder lentamente e deixar-vos saber quando estivermos prontos a expandir-nos, continuando a entrar em parceria com marcas cujo conteúdo brilhe", afirma a empresa de Kevin Systrom.

Porque é que o Instagram e o AdBlock davam bons amigos (opinião)

Veja também: AdBlock, ou como ganhar dinheiro com publicidade online bloqueando publicidade online

Esta filosofia é, de certa forma, partilhada pelo AdBlock, uma popular extensão que bloqueia anúncios indesejados online. Ao contrário do senso comum, o objectivo do AdBlock não é o de eliminar toda a publicidade online, mas sim de estabelecer parâmetros e regras que favoreçam tanto anunciantes como utilizadores. Como? Exibindo apenas bons anúncios. E bons anúncios, para o AdBlock, são blocos publicitários que as pessoas não se importam de ver online. Ou seja: são anúncios que não surjam em pop-up, por debaixo, não pisquem, não se disfarcem de conteúdos reais, mas que se identifiquem como anúncios e afins.

"Anúncios aceitáveis não roubam os nossos IPs, nem recolhem todo o nosso histórico de navegação. Anúncios aceitáveis não nos inundam com rastreadores de cookies nem revendem os nossos dados a outras empresas", afirma a empresa.

Consegue notar um padrão nestas duas filosofias distintas? A boa publicidade não é intrusiva, e consegue entreter-nos tanto como um conteúdo autêntico. Os melhores anúncios publicitários são aqueles que fogem aos padrões convencionais e que, mais do que agarrar-nos a atenção, nos levam a querer partilhá-los com as nossas redes de contactos. E parece ser nessa direcção que o Instagram, com a sua filosofia estética, quer caminhar.

Admitamos: há boa publicidade. Não seria a internet um lugar melhor, se toda a publicidade que nos fosse exibida fosse também do nosso agrado? Qual foi o melhor anúncio publicitário que já se lembra de ter visto? Ou então diga-nos qual foi o pior!

4,197