NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
O Facebook venceu a Google na batalha pelo WhatsApp, mas não na guerra da publicidade

O Facebook venceu a Google na batalha pelo WhatsApp, mas não na guerra da publicidade

quinta-feira, 20 fevereiro, 2014 /
O Facebook venceu a Google na batalha pelo WhatsApp, mas não na guerra da publicidade

A grande notícia do dia foi a aquisição da popular aplicação de messaging WhatsApp pelo Facebook, num valor absurdamente gigante que se aproximou dos 20 mil milhões de dólares

A título meramente comparativo, o Facebook pagou aproximadamente mil milhões de dólares pelo Instagram, ou vinte vezes menos que os valores acordados com a aplicação de envio de mensagens. Também à semelhança do que aconteceu com o Instagram, o WhatsApp continuará a funcionar de forma autónoma como até aqui tem vindo a funcionar.

A base de 450 milhões de utilizadores em todo o mundo, que se pensa estar a crescer a uma média de 1 milhão de novos utililizadores por dia, terá sido um dos factores decisivos para que o Facebook optasse por levar este negócio para a frente. Importa referir que esta aquisição era "mais ou menos" expectável, ainda que os valores elevadíssimos tenham apanhado o universo tecnológico de surpresa - saberá Mark Zuckerberg o que está a fazer? Independentemente da resposta, os valores assombrosos deste negócio provocaram uma queda de 2% no valor das acções da rede social de Mark Zuckerberg.

Uma breve contextualização - Os rumores de que o WhatsApp estaria na mira da Google e do Facebook já andavam a circular online há vários meses. De facto, informações muito recentes dão conta de que a Google avançou ao WhatsApp uma oferta no valor de "milhões de dólares" para que fosse notificada no caso da aplicação de mensagens receber alguma "proposta para aquisição". O WhatsApp, ao que parece, terá recusado.

? 5 smartphones Android chineses mais finos que o Apple iPhone 5S

? Bloqueie chamadas telefónicas facilmente com a Easy Call Blocker

? Como ser fixe no universo das tecnologias?

? Sugestão: como carregar o smartphone 50% mais rápido

Se tivermos em conta que o WhatsApp é um dos actuais líderes de um segmento que está a matar as tradicionais SMS, além de disponibilizar uma base de novos utilizadores na ordem dos milhões, é fácil percebermos o porquê desta plataforma interessar a gigantes como a Google ou o Facebook - ambas competem, na verdade, dentro do segmento da exibição de publicidade (uma área onde o Facebook tem vindo a desenvolver um excelente trabalho e a aproximar-se da Google, por sinal) e ambas têm o segmento dos dispositivos móveis em elevada conta.

Tal como o Instagram, também o WhatsApp poderá vir a revelar-se uma plataforma adicional para o Facebook poder expandir o seu negócio da exibição de publicidade, sem necessariamente prejudicar a experiência de utilização da aplicação - uma filosofia que foi muito levada a sério durante a rentabilização do Instagram, que levou aproximadamente um ano a ser implementada mas que já era expectável desde a época em que não passava de um rumor. É importante referir que o Facebook tem vindo a ter um crescimento notável nesta área de negócio, mas que a Google ainda é de longe a líder em publicidade online.

Zuckerberg garante que o WhatsApp continuará a funcionar como até aqui tem vindo a fazer - afinal, fórmulas de sucesso não merecem revisões.

O Facebook venceu a Google na batalha pelo WhatsApp, mas não a guerra da publicidade

4,597