NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
iPad: não se deixem enganar

iPad: não se deixem enganar

quinta-feira, 20 janeiro, 2011 /
iPad: não se deixem enganar O Telemoveis.com tem recebido algumas queixas e perguntas sobre o tablet mais popular da actualidade, sobretudo acerca da aquisição de aplicações, jogos ou até mesmo ítems de jogo.
O Telemoveis.com tem recebido algumas queixas sobre o iPad, sobretudo a respeito de algumas cobranças indevidas em aplicações, jogos ou mesmo ítems de jogo. Por cobranças indevidas entenda-se a facilidade com que uma criança, por exemplo, ao aceder a um jogo, possa comprar packs de ítems que são descontados directamente no cartão VISA do dono do dispositivo.

Esta situação torna-se problemática por duas razões: por um lado, uma criança de 5 anos desconhece que esteja a comprar o que quer que seja, não havendo limites para este género de aquisições a não ser que o dono do iPad configure, ele próprio, o dispositivo. Por outro lado, a situação só se revela quando os valores são cobrados no cartão do proprietário do tablet, que até ter conhecimento da situação pode continuar a adquirir mais sem o saber, atingindo valores exorbitantes e inesperados.

Um exemplo real é o do jogo Tap Reef, que disponibiliza vários packs de ítems no fim de cada nível, que podem ser adquiridos por valores entre 9 e 99 dólares - descontados directamente. Já vários utilizadores se queixaram de situações semelhantes, e o Telemoveis.com apresenta duas sugestões: a primeira, que configurem o iPad para limitar as aquisições enquanto utilizam aplicações. Para tal, basta aceder a Settings < General - In App Purchaces < Off. Por outro, no caso de não estarem satisfeitos, basta aceder ao histórico de pagamentos e apresentar reclamação. O processo de reembolso é rápido: no caso de alguns utilizadores, no dia seguinte obtiveram o dinheiro de volta.

O iPad vem configurado, por defeito, para permitir estas aquisições, o que é negativo quando se é um utilizador inexperiente, ou quando se tem crianças em casa com acesso livre ao dispositivo. Por outro lado, a situação também se resolve facilmente apresentando reclamação, opção que está disponível no histórico de pagamentos. Esperamos que com a próxima edição do iPad, que deverá sair este ano, este problema esteja resolvido e que a configuração impeça, por defeito, que este género de situações voltem a ocorrer.
2,962